Quando usar etanol e gasolina no seu carro – tudo sobre o Flex

O carro Flex é uma realidade no Brasil há muito tempo. No entanto, as perguntas e consequentes dúvidas são frequentes sobre esse combustível que, vira e mexe, é protagonista na preferência dos brasileiros. Neste post, o Blog da Itaro vai comentar sobre o aproveitamento do etanol, além de mostrar quando utilizar esse combustível se torna mais atraente. Confira!

A história do etanol e dos carro Flex

A primeira vez em que o etanol deu o ar de sua graça em terras tupiniquins foi, acredite se quiser, em 1925, quando foi criado o primeiro carro a álcool no país. Mas é claro que essa é apenas uma curiosidade histórica. O álcool tornou-se uma realidade no país a partir de 1970, quando o governo criou um programa chamado Pró-álcool. Isso porque o petróleo – só para variar – entrou em uma mega crise, o que incentivou os chamados “biocombustíveis” a ganharem bastante espaço. Ford, Fiat, General Motors e Volkswagem começaram a montar seus veículos utilizando esse combustível, já que as usinas produtoras de açúcar e álcool estavam de vento em popa…olha só que interessante: no final dos anos 80, o carro a álcool era uma preferência nacional, e quase todos os carros que saíam das fábricas com motor a álcool. Só que uma série de problemas desestimularam esse cenário positivo: o preço da produção de açúcar aumentou bastante no Brasil, o que fez com que o país tivesse de importar o produto; além disso, os carros a álcool começaram a apresentar alguns problemas; entre eles, o que mais incomodava era a dificuldade de pegar nos dias muito frios (sobre isso, falaremos daqui a pouco, ainda neste post). O fato é: no anos 90, os carros movidos a álcool praticamente sumiram do mercado, ou eram considerados “ruins” pela maioria dos brasileiros.

No começo do século XXI, mais uma reviravolta no cenário: os chamados combustíveis fósseis (petróleo) mais uma vez entraram em queda, e aí foi a vez do governo brasileiro – e principalmente das montadoras – investirem forte no etanol, e eis que surgem os chamados carros flex, movidos tanto a petróleo quanto a álcool. Rapidamente, esse veículo caiu no gosto popular, já que a possibilidade de o motorista poder “escolher” qual combustível melhor lhe convém, vamos combinar, é tentadora. Hoje, é difícil encontrar um carro – independente do modelo – que não seja flex.

 

cambustiveis_itaro_blog

 

Álcool ou Gasolina ?

Como já comentado acima, o grande problema do etanol é a partida do motor a frio, mais difícil de pegar do que a gasolina. Isso acontece porque, abaixo dos 14ºC, o álcool tem vaporização difícil. No entanto, nos carros Flex, esse problema foi completamente resolvido, com a ajuda da gasolina. Os carros Flex, já preparados para esse problema, saem de fábrica com um pequeno reservatório no qual cabe cerca de meio litro de gasolina; essa gasolina é enviada automaticamente por uma pequena bomba para o motor que dá a fagulha de combustão – o que é responsável por fazer o carro “pegar”. Mágico, não? Com essa alternativa, o carro a álcool deixou de ser um motivo de dor de cabeça nos dias de frio muito intenso.

Mas e no bolso, compensa mais usar etanol ou gasolina?

Apesar de o carro ganhar alguns cavalos de potência com o etanol, ele “bebe” cerca de 30% a mais no etanol do que na gasolina. Ou seja, para valer a pena, ele tem de ser pelo menos 30% mais barato que o combustível fóssil. Essa média, muitas vezes, é questionada, já que muitos compradores recentes dos carros flex dizem que, para compensar colocar o etanol, ele precisaria ser pelo menos 40% mais barato que a gasolina. Para ajudar o nosso leitor, colocamos abaixo uma tabela que indica quando escolher etanol realmente compensa.

 

Combustivel_itaro_blog

 

Agora, para facilitar ainda mais a sua vida, há uma pequena – e simples – continha, que certamente é interessante você ter anotada. Para saber se colocar álcool compensa, faça a seguinte conta:

Divide o valor do etanol pelo preço da gasolina se o resultado for 0,7 ou menor, então compensa usar etanol. Caso contrário, a gasolina é a melhor opção. Por exemplo:

Etanol = 1,75

Gasolina = 2,50

Conta = 1,75/2,50 = 07

Melhor combustível = etanol